Folha Seca - Sálvia

Folha Seca - Sálvia

Preço normal
€1,75 EUR
Preço de saldo
€1,75 EUR
Preço normal
Esgotado
Preço unitário
por 
Imposto incluído.

O nome Sálvia deriva do latim, ‘salvere’, que tem como significado ‘saudável’. E não é para menos: ela é utilizada pela medicina popular em casos de ansiedade, irritabilidade, transtornos da menopausa, redução da lactação, diabetes e no tratamento de gastrites e úlceras.

A planta pertence à família Laminaceae e conta com cerca de 900 espécies distribuídas em várias partes do globo. Saiba mais sobre ela:

Origem
Desde o princípio da humanidade as plantas são utilizadas para diversos fins, como fonte alimentar, matéria-prima em construções, aromatizantes ou medicamentos.

A Salvia officinalis cresce em solos secos, arenosos e em regiões ensolaradas, sendo sua origem do sul europeu. Deve ser colhida pouco antes da floração por possuir maior concentração de óleo essencial neste período. As partes utilizadas são as folhas.

Principais propriedades
Flavonoides: responsáveis por variadas atividades hormonais, anti-inflamatórias, antimicrobianas e antioxidantes.

Taninos: apresentam atividade expectorante, bactericida, fungicida, antitumoral e cicatrizante.

Benefícios e para que serve
Fins terapêuticos
A erva sálvia é cicatrizante, antisséptica, hipoglicemiante, antirreumática, cardiotônica, anti-inflamatória (garganta e amígdala), bacteriostática e adstringente.

Utiliza-a para tratar problemas respiratórios, como resfriados, bronquites, anginas, tosse e expectoração.

Ainda é empregue contra ansiedade, depressão, intestino preso e problemas de menopausa.

Estudos comprovaram sua eficácia em infecções gástricas, por possuir ações digestiva e diurética.

Também é conhecida por sua utilização em uso interno como anti-transpirante e em uso externo como desinfetante (para a boca).

Na culinária
O tempero sálvia pode ser usado em molhos, carnes e pães.

Contraindicações
A sálvia não é recomendada durante a gestação, o aleitamento, para portadores de epilepsia e durante o uso de medicamento para o coração. Pode ser tóxica em altas doses.

Como usar?
De acordo com a literatura, deve-se ficar atento às especificações de uso oral devido à alta concentração de tujona na sálvia, uma substância neurotóxica, hepatotóxica e abortiva.

Assim, vale consultar um médico, naturopata ou nutricionista para obter a posologia correta, tanto no uso oral quanto no tópico.

Receita de chá de sálvia


Chá de salvia na caneca.

Ingredientes
1 colher de chá de sálvia
1 xícara de chá de água fervente.
Modo de preparo
Ferva a água e, depois, desligue o fogo. Despeje a erva na água e deixe abafada por 5 minutos. Depois é só consumir.

Quanto tomar?
Tomar de 3 a 4 Chávenas de chá ao dia.

RESUMO SIMPLES
Parte utilizada: folhas e flores.

Principais indicações: gripe, resfriados, vómitos, gases, inflamações da boca e da garganta, problemas de digestão, tónico do coração e diabetes.

Esoterismo:

A sálvia é considerada uma das mais poderosas ervas de defumação existentes. A sua queima evoca rituais e práticas antigas de diversos povos da humanidade, todos com fins similares – a purificação e a renovação de energias. A sálvia geralmente é usada para defumações em porções generosas, para descarrego do peso energético em residências e até estabelecimentos, onde geralmente são ditas orações e frases para reforçar a renovação das energias e trazer benefícios que vão desde a melhora do clima astral até bons agouros para o bem-estar físico dos ocupantes.

Não se pode esquecer que a sálvia possui incontáveis propriedades medicinais – parte delas acaba sendo accionada durante as defumações. Cataplasmas e cremes produzidos a partir dessa planta são óptimos para picadas de insectos e irritações de pele. O gargarejo de emulsões ajuda a combater inflamações do trato respiratório. Em loções, pode ser usada também para combater a caspa e condições geradas pela oleosidade excessiva no couro cabeludo. A sálvia é uma planta completa, de ação secante e higiénica e seu poder vai bem além de sua simples essência.